RESUMO

O Aumento do interesse sobre o Futebol Americano no Brasil
Autor: Lucas Midaglia Pizzi Rossetti
Orientadora: PROF. DR. . Ary José Rocco Junior

O Objetivo desse estudo foi entender quais são os fatores que influem no crescimento do interesse pelo desporto Futebol Americano no Brasil, realizando uma breve revisão histórica da modalidade nos Estados Unidos, para melhor entender como ela se desenvolveu e se popularizou nos seu país de origem. A mesma linha de pesquisa foi feita acerca do futebol americano no Brasil, um breve histórico sobre o surgimento da modalidade e o caminho que o levou até o atual estagio de evolução, analisando a influencia das exposições midiáticas da modalidade na televisão, que com o aumento da qualidade os serviços de internet e televisão a cabo, aumentaram muito a quantidade de informação e material sobre o Futebol Americano, toda essa influencia culmina no aumento em horas expostas do futebol americano nas redes de televisão fechadas, esses impactos atuando juntos fizeram com que a o numero de atletas e pessoas envolvidas com a modalidade aumentassem muito ao longo dos últimos dez anos.

Esse aumento que ainda não esta contabilizado nem embasado por pesquisas cientificas já é visto como importante para as redes de televisão e mídia esportiva especializada , jogos da modalidade alcançam recordes de audiência e cada vez mais são os jovens que tem se interessado pela modalidade o que pode vir a garantir um futuro solido e positivo de audiência.

Feita a revisão histórica da modalidade e entendendo os fatores internos dela que levam ao interesse do publico, foram convidados especialistas para falar sobre o cenário brasileiro e a influência das transmissões no aumento da pratica esportiva, com todos esses dados uma hipótese sobre quais são os fatores que influem no crescimento do futebol americano no Brasil foi formulada, aumentando assim o campo de conhecimento acadêmico sobre a modalidade.

INTRODUÇÃO

Com um planeta cada vez mais globalizado e conectado a transferência de informações se da de maneira mais rápida e eficiente, esse cambio de culturas e notícias levam os mais diferentes tipos de entretenimento e esporte aos quatro cantos do globo. Dentre os esportes que chegaram ao Brasil se encontra o futebol americano que vem ganhando espaço nas grades horarias das redes de televisão esportivas fechadas do Brasil. Esse súbito interesse que ganhou força em 2006 com apenas uma partida ou duas sendo transmitidas por semana, hoje já alcança recordes de audiência na rede fechada segundo dados divulgados pela ESPN obtidos pelo Ibope a final do campeonato de 2014 foi assistida por meio milhão de pessoas, um crescimento de 84% se comparada a audiência do ano anterior, além do grande aumento do publico televisivo se nota ao mesmo tempo um gigantesco aumento no numero de praticantes da modalidade no Brasil, segundo estudo feito por Pons (2013) hoje o Brasil conta com aproximadamente dezessete mil atletas da modalidade, esse números começaram a crescer nos últimos cinco anos.

O Objetivo geral desse estudo é caracterizar a historia do futebol americano nos EUA, pais onde foi inventado, e entender como esse esporte se desenvolveu ao longo dos anos, dentro desse contexto, identificar os principais obstáculos, além de analisar a historia da National Football League (NFL). Para isso, será estudado o papel das redes de televisão na transmissão do esporte, tanto no país de origem quanto no Brasil, e buscar entender essa correlação existente entre o aumento das transmissões da NFL no país do futebol, e o aumento do número de adeptos da modalidade. Com intuito de responder a esses questionamentos, foi feito um levantamento histórico da modalidade, e entrevistas com especialistas, jornalistas e pesquisadores do tema, a fim de entender esse fenômeno.

A metodologia utilizada para essa monografia foi buscar uma revisão bibliográfica para levantar a historia do futebol americano nos Estado Unidos, a criação da NFL e como esse esporte chegou ao Brasil, foi feita também uma entrevista semi-estruturada com as pessoas que hoje fazem a transmissão dos jogos para o Brasil Para entender melhor a relação entre o crescimento das transmissões, da audiência e da pratica esportiva no Brasil, foram feitas quatro perguntas para profissionais do mercado que trabalham com a geração de conteúdo e de transmissão do futebol americano no Brasil, o objetivo é comparar a visão dos profissionais da área com o processo histórico apresentado, somado a vivencia pratica para determinar quais são os principais fatores que levam a esse crescimento do interesse do publico, do aumento em horas do esporte transmitido e qual a relação disso com a pratica da modalidade no Brasil, as perguntas foram desenvolvidas em conjunto com o Professor Doutor Ary Rocco da Universidade de São Paulo.

A HISTÓRIA DO FUTEBOL AMERICANO

O Futebol Americano como conhecemos hoje é um jogo derivado dos jogos escolares ingleses Rugby Football e Football Association (DUARTE 2000) ele é trazido aos Estados Unidos por jovens que ao estudar nas universidades e escolas inglesas aprendem e se encantam por esses dois esportes porem sem entender muito bem as regras acabam criando um novo esporte baseado nos esportes aprendidos em seu tempo morando na Inglaterra.

Os primeiros relatos sobre o jogo „‟American Football‟‟ datam de 1869 quando os estudantes das universidades de Rutgers e Princeton jogaram a primeira partida de „‟ Soccer Football Game‟‟, com regras muito similares as do Football Association, se baseando no livro „‟London Football Association Rules‟‟. Já em 1873 representantes de 4 universidades americanas ( Columbia, Princeton , Yale e Rutgers) se encontraram em Nova York para fundar a IFA (Intercollegiate Football Association) para padronizar e definir as regras do jogo, segundo site histórico da NCAA(ncaa.org).

O comitê de regras da IFA era dirigido por Walter Camp, considerado o Pai do Futebol Americano, em 1882 Walter introduz as regras que modificariam o jogo para sempre e o distinguiriam totalmente dos esportes base ( rugby e football association). Walter Camp, treinador da universidade de Yale, propôs 11 jogadores por equipe, definiu o campo de jogo em cento e dez jardas, o sistema de downs, sendo ainda três descidas para alcançar 5 jardas e o conceito de „‟Line of Scrimmage„‟( linha de inicio da jogada).

Com as regras iniciais o Football começa a ganhar popularidade e muitos adeptos, novos times universitários surgem e muitos jovens começam a praticar o esporte, porem devido a brutalidade do jogo e a ausência de proteção adequada mais de cento e oitenta jovens tiveram lesões graves e dezoito atletas morreram no campo ou devido a lesões sofridas no campo de jogo geradas pelas jogadas perigosas que se tornaram comuns nos jogos.

Em 1905 o então presidente dos Estados Unidos Theodore Roosevelt convoca uma reunião com as principais escolas fundadoras do jogo, a pauta dessa reunião dizia que
ou o futebol americano se organizava ainda mais em suas regras e modo de jogar ou ele seria proibido como pratica esportiva (nfl.com/1911-1920). Dessa reunião surgem algumas propostas que ao longo dos próximos anos iriam modificar as regras do jogo para torna-lo mais seguro para os atletas, sendo elas a adição de cinco jardas para uma nova primeira descida e mais uma descida conhecida como quarta descida (regras que até são mantidas). (Historyoffootbal. net).

A reunião de 28 de dezembro de 1905 reuniu 62 universidades aonde as regras que mudariam definitivamente o jogo e sua organização foram estabelecidas, o passe para frente ideia do treinador John Heisman , a proibição das jogadas perigosas (que causaram tantas mortes no passado), foi redefinido o tempo de jogo para sessenta minutos e foi fundada a „‟ „‟Intercollegiate Athletic Association of the United States‟‟ que se tornaria a NCAA em 1910, que é a Associação Atlética das Faculdades Nacionais para organizar o campeonato (CROWLEY 2010).

Com o crescimento da modalidade e o maior apelo de torcida o jogo que antes era amador e universitário começa a se organizar e estruturar envolvendo uma profissionalização maior de treinadores, diretores e atletas, o primeiro atleta a receber dinheiro para jogar, considerado então o primeiro atleta profissional foi William „‟ Pudge‟‟ Heffelfinger´s que recebeu quinhentos dólares para jogar um jogo pela associação atlética de Allegheny (NFL 1869-1910).
Assim começa a surgir à primeira era profissional do futebol americano, primeiro com ligas regionais e estaduais (destaque para as ligas regionais de Nova York e Pittsburgh) que ao longo do tempo foram crescendo e englobando cada vez mais times, graças ao fortalecimento dessas liga surge a „‟ American Professional Football Association‟‟ fundada em 1920, pelos times profissionais da época, na cidade de Canton no estado de Ohio aonde até hoje se abriga o maior museu sobre o Esporte e o Hall da Fama da modalidade. (NFL 1911-1920).

Essa liga surgiu com a finalidade de organizar e aumentar à qualidade do espetáculo, quanto mais organizada era a liga menos os times disputavam entre si fora do gramado, mais dinheiro era gerado e juntos os times foram se fortalecendo, fazendo assim do Futebol Americano um passatempo nacional.

Segundo o arquivo histórico da NFL em 1922 a APFA (American Professional Football Association) é renomeada como National Football League, hoje conhecido como NFL (nfl.com/history). Ela se torna a principal liga de futebol americano profissional dos Estados Unidos, organizado o campeonato nacional, as primeiras dez temporadas dessa
liga são conturbadas e muito confusas, apesar do crescimento geral do interesse sobre o futebol americano por parte da sociedade americana, a liga ainda encontrava muitos problemas financeiros, pois no mesmo período houve a grande crise financeira americana, muitos times entravam e jogavam apenas uma temporada profissional na NFL e então faliam ou deixavam de existir, esse foi um problema recorrente nos primeiros anos de NFL chegando ao seu pior momento na temporada de 1932 quando os times Chicago Cardinals (atualmente Arizona Cardinals) e Portsmouth Spartans (atualmente Detroit Lions) que iriam disputar a grande primeira final da historia da NFL (até então o campeão da temporada era o time que detinha um melhor recorde de vitorias) foram obrigados a disputar o jogo em uma arena de circo aonde o campo tinha 80 jardas e estava coberto de feno e fezes de elefante (MANCHA 2015) O resultado final do jogo ( 9-0 para a equipe de Chicago) foi o que menos importou naquele dia, devido a falta de organização e o estado caótico em que a NFL se encontrava os donos das franquias se reuniram e decidiram dar um basta no amadorismo e confusão que eram habituais na antiga NFL. Surgindo assim a primeira era moderna da NFL em 1933.

A HISTÓRIA DA NFL

Em 1933 depois da complicada final do ano anterior e sua desorganização estrutural os donos de franquias (times) se reuniram e na busca de uma novo molde ou formato que transformasse a NFL em uma liga mais viável economicamente para as franquias, três novas foram aceitas na NFL chegando ao numero de dez franquias participantes, fazendo com que a NFL dividisse a liga em duas conferencias (Leste e Oeste), mesmo com varias pequenas mudanças em regras e organização ainda era muito comum os times de cidades consideradas pequenas migrarem suas franquias para grandes cidades, em busca de apoio e visibilidade, era muito comum os novos times da NFL usarem os mesmos nomes das franquias de baseball das cidades, por muito tempo Indians, Dodgers, Yankees e Tigers foram nomes de times de Futebol Americano e Baseball ao mesmo tempo.(NFL 1931-1940).

O primeiro grande evento de futebol americano foi em 1934 quando a NFL decidiu organizar um jogo entre os Chicago Bears e as estrelas da NCAA (Liga não profissional universitária) o jogo aconteceu no Soldier´s Field (estádio do Chicago Bears) com um publico de 79,432 pessoas presentes. (Grogan, John, 2000. “The College All-Star Football Classic”) Esse evento aumentou o prestigio da NFL tanto dentro quanto fora do campo, o fato de grandes eventos serem gerados pela liga profissional de futebol americano mais o fato do jogo terminar empatado, que foi interpretado como um fator de equidade entre os jogadores profissionais e os universitários fez o publico se apegar cada vez mais a essa nova liga esportiva que crescia. (GROGAN 2000).

Em 1934 aconteceu a primeira transmissão nacional de um jogo da NFL, o jogo foi ao ar pela NBC Radio no dia de ação de graças, aonde Detroit Lions e Chicago Bears se enfrentavam, a narração foi feita pelo Graham McNamee, essa foi a primeira vez em que todo o país teve acesso ao mesmo jogo, uma pratica que até hoje é comum na NFL. (FOOTBALL FIRST 2015).

Segundo o autor Bob Barnett em seu artigo (Barnett, Bob. “1936: The First Draft”) Em 1935 a NFL decide aprovar a ideia de Bert Bell e instala o Draft (escolha organizada dos jogadores universitários pelas franquias profissionais) aproximando mais ainda a NFL da NCAA e de seu publico fiel, sua primeira edição em 1936 teve como primeiro jogador selecionado o atleta da Universidade de Chicago Jay Berwanger, selecionado pelo Philadelphia Eagles, a ideia de escolhas inversas à posição do time de acordo com sua ultima temporada ainda se mantem até hoje, sendo o pior time a escolher primeiro. Nesse período os Estados Unidos se encontravam em um momento delicado social aonde a segregação racial ainda se mostrava muito forte e presente, por causa dessa pratica a NFL não permitia atletas negros em seus times, apesar de um caso ou outro eram poucos os atletas negros (mesmo que talentosos) que conseguiam uma chance de jogar futebol americano profissional, essa segregação muito provavelmente impediu grandes estrelas de se jogarem pela NFL, George Preston Marshall dono da Franquia Boston Redskins foi o grande mentor e defensor dessa segregação que durou até mesmo durante a segunda guerra mundial aonde vários atletas foram convocados para guerra, mesmo assim a liga refutava em selecionar via draft ou contratar atletas negros.

Em 1939 aconteceu a primeira transmissão pela televisão de uma partida da NFL sendo a emissora NBC a responsável por transmitir Brooklyn Dodgers e Philadelphia Eagles do estádio Ebbets Field para aproximadamente mil aparelhos em Nova York, a liga estava ganhando força financeira e de audiência pela primeira vez a NFL chega ao incrível numero de um milhão de pessoas nos estádios, Green Bay derrotou New York 27-0 no NFL Championship Game, jogo que feza liga atingir a marca de 1,071,200 pessoas nos estádios na mesma temporada. (NFL 1930-1940).

Porém mais uma vez o cenário social americano influi nos caminhos de crescimento da NFL, em 1941 a base americana de Peal Harbor é atacada pelos japoneses levando os Estados Unidos a entrarem na Segunda Guerra Mundial, não só os recursos financeiros do país foram focados na guerra como os recursos humanos foram luta-la. Durante a guerra devido à falta de jogadores alguns times da NFL foram obrigados a se juntar por algumas temporadas e outros ficaram 1 temporada parados, sem jogar nenhum jogo por exemplo o Brooklyn Dodgers que dos seus 30 atletas teve 23 recrutados, no total foram 638 atletas recrutados para lutar em nome dos Estados Unidos da América, nessa fusão foi criado o time do Steagles, uma fusão do Pittsburgh Steelers e do Philadephia Eagles (MANCHA 2015). Essa foi uma das maneiras que mantiveram o sonho da NFL vivo, talvez a mudança mais impactante gerada pela guerra na NFL foi a mudança de regra para limite de jogadores, pois até então o atleta jogava em duas posições uma na defesa outra no ataque, como os grandes atletas e os jovens estavam indo para a guerra os treinadores não tinham tempo de treina-los em duas posições, fazendo com que os atletas fossem treinados cada um apensas para a sua própria posição, essa mudança foi muito benéfica ao longo do tempo pois criou atletas mais especializados e focados na sua posição, melhorando muito o nível do jogo.

A NFL teve ao longo de sua historia varias ligais rivais, porem a grande maioria com pouca expressão ou força econômica, apenas uma liga fez frente a ponto de ameaçar a hegemonia de jogadores e de dinheiro que a NFL havia conseguido depois da segunda guerra, a AFL (american football league) fez dessa rivalidade uma guerra entre as duas ligas, tanto por torcedores e espaço na mídia quanto por atletas, essa batalha fazia com que os atletas ficassem dividos em assinar um contrato com um time da NFL ou assinar um contrato com um time da AFL e o grande fator decisivo era o dinheiro contido nos contratos, além do fato de que a NFL não escolhia jogadores de universidades pequenas e negros, a AFL viu nisso uma oportunidade e esse jogadores considerados pela NFL de segunda linha acabavam todos na AFL , os salários dos atletas subiam de maneira assustadora e incontrolável, essa inflação nos salários era impraticável a longo prazo, pois todos estavam perdendo dinheiro, as cotas de transmissão eram dividas, tudo forçou a uma reunião entre os donos de time da AFL e os donos de time da NFL em 1966 aonde as duas ligas acordaram com um jogo entre o campeão da NFL contra o campeão da AFL esse jogo seria conhecido como The National Football League Championship,( NFL 1961-1970). Porém durante a temporada regular as ligas jogavam campeonatos internos, essa fusão ainda não era completa, cada liga disputava internamente para saber quem era seu campeão e o mandava para o jogo final o nome Super Bowl viria somente 3 anos depois, a sugestão foi de Lamar Hunt, grande entusiasta do esporte nos estados unidos que foi um dos fundadores da AFL, ele ainda aparece no hall da fama do tênis e do futebol (soccer), tendo feito grandes contribuições para esses três esportes, segundo o historiador Paulo Mancha em seu livro a ideia veio de ver sua filha brincando com um brinquedo chamado „‟ Super Ball‟‟ ele adaptou o nome para Super Bowl. Por três anos esse modelo de tabelas de disputas separadas se manteve até que em 1970 a fusão foi completa e a NFL se tornou a liga que hoje conhecemos com duas conferencias e a final nomeada de Super Bowl.

O nome NFL se manteve, pois além de ser uma liga mais velha, seus contratos com patrocinadores e transmissores eram mais valiosos. Diversas regras foram impostas nessa junção sobre os mais variados temas, dentre elas uma chama atenção que é a regra de que nenhum time da NFL em 1970 poderia mandar jogos em estádios com capacidade menor a 50.000 pessoas, uma estratégia para obrigar os times menores a melhorarem sua base de fãs, muitos estádios foram construídos para cumprir essa obrigação, a ultima franquia a ser adicionada a NFL foi o Houston Texans em 2002, com o sistema de disputa de jogos e graças à adição dos Texans somando trinta e duas equipes no total, cada equipe joga obrigatoriamente duas vezes contra todas as outras equipes a cada oito anos uma vez em casa e outra fora, esse sistema garante um equilíbrio muito grande a liga sobre os confrontos da temporada. Hoje a NFL é uma liga bem organizada e bem estabelecida nos últimos 30 anos ela se firmou como a maior liga esportiva dos Estados Unidos, o futebol americano se tornou o esporte favorito dos americanos, graças as décadas de 1980 e 1990 onde as grandes lendas esportivas do jogo estiveram em campo, os consideradas melhores jogadores da historia em cada posição estavam ativos jogando nessa época mesmo com toda a evolução de treinamento e tecnologia, os jornalistas e treinadores ainda apontam os atletas desse passado como os melhores jogadores da historia da liga como Dan Marino, Joe Montana, Jerry Rice e Walter Payton a qualidade técnica desses atletas somada ao aumento de interesse do publico fizeram da NFL um produto com um valor altíssimo, patrocínios e acordos eram firmados anualmente, que fazia da liga e consequentemente das franquias cada vez mais poderosas atingindo seu auge em 1998 quando a NFL renegociou seus contratos com todas as emissoras por 8 anos, os valores são Fox que pagou 4.4 bilhões de dólares, ABC pagando 4.4 bilhões de dólares, ESPN pagando 4.8 bilhões de dólares (Conseguindo exclusividade na Televisão a cabo), CBS pagando 4 bilhões de dólares, soma essa de 17.6 Bilhões de dólares recebidos pela NFL somente pelos direitos a transmissão televisiva segundo o livro „‟Brand NFL: Making & Selling America‟s favorite sport‟‟ ( ORIARD 2007).

Nos anos 2000 os números astronômicos de contratos televisivos sofreram com as crises econômicas, tendo um aumento muito menor em valor das antigas renovações porem esse números ainda são considerados altos e hoje a liga tem um contrato aonde recebe 20.4 bilhões de dólares das redes de televisão, os patrocinadores hoje devem pagar a quantia de 4 milhões por 30 segundos de comercial durante o jogo final da temporada ( Super Bowl) que é assistido por mais de 100 milhões de pessoas, segundo o jornal „‟ The Wall Street Journal‟‟ desde 2004 o valor do comercial aumentou 42% .

Além de vender seus direitos de transmissão a NFL possui seu próprio canal com 24 horas de conteúdo e informação ao vivo sobre futebol americano, além de ter os direitos de transmissão do jogo de quinta feira à noite, esse canal o „‟NFL network‟‟ pode ser comprado através do „‟NFL Game Pass‟‟ pacote que te da direito a assistir aonde quiser os jogos da temporada, além de documentários históricos e jogos do passado, no modelo „‟ On Demand‟‟ na internet. Muitos fãs no Brasil preferem comprar esse pacote completo ao invés de assistir os jogos através da televisão, o que vem chamando atenção da NFL para seu mercado em plena ascensão no Brasil.

No ano de 2016 será jogado o 50º Super Bowl no novo estádio de Santa Clara a NFL é hoje a liga nacional mais poderosa do mundo em questão de fãs, dinheiro e importância, deténs os recordes de eventos mais assistidos nos Estados Unidos, essa força impressiona quem assiste e cativa ainda mais o publico, aqui no Brasil O Super Bowl XLVIII alcançou a maior audiência de TV por assinatura em 2014 no dia do jogo, 2 de fevereiro. Outro dado que registrou crescimento foi o ATS (Average Time Spent –
tempo de permanência no canal), que teve uma média de 76 minutos, contra 49 minutos em 2013 – um aumento de 55%. Todos os dados de audiência são fornecidos pelo Ibope. Segundo o portal Uol em seu site toda essa audiência tem uma historia de anos de transmissão e pratica da modalidade no Brasil, a historia do futebol americano no Brasil é importante para o entendimento desse fenômeno de crescimento. (natelinha.ne10.uol.com.br).

DATAS HISTÓRICAS DAS TRANSMISSÕES DE FUTEBOL AMERICANO

FUTEBOL AMERICANO NO BRASIL

Não existe nenhuma fonte que relate com exatidão quem e quando se começou a praticar o jogo no Brasil, porém segundo ROSA (2007) que escreveu um artigo sobre o nascimento do futebol americano no Brasil diz que os relatos mais antigos datam dofutebol americano de praia, que „‟Segundo a AFAB (Associação de Futebol Americano do Brasil), tem seu primeiro registro por volta de 1986, quando um grupo de jovens começou a se reunir nos fins de semana, mais especificamente na praia de Copacabana para jogar.

O primeiro time que se tem registro no Rio de Janeiro foi o Rio Guardians, criado em 1992, a equipe pioneira de futebol americano, que tinha como símbolo uma torre de xadrez, em alusão à fortificação instalada aos pés do morro do Pão de Açúcar, nos anos de 1560, e de uniforme nas cores branco, preto e ouro.‟‟ ( ROSA 2007) . Já na cidade de São Paulo os indícios mostram que os professores Claudio Telesca e Paulo Arcuri ministravam aulas de „‟Flagbol‟‟ modalidade similar ao futebol americano com contato reduzido nas escolas de São Paulo e no Parque do Ibirapuera (PONS 2013), existem também outras cidades que iniciaram o movimento do futebol americano Brasileiro destaque para Cuiabá e Joinville.

Caminhos diferentes foram traçados por cada cidade e equipe nos anos 2000, no Rio de Janeiro foi na praia que o futebol americano ganhou espaço, foram criados diversos campeonatos e equipes, hoje o Estado tem quatro grandes equipes organizadas nos campeonatos nacionais, já em São Paulo foi através do flag football que varias equipes surgiram e se organizaram, hoje conta com mais de cinquenta equipes organizadas. No Brasil hoje o cenário de futebol conta mais de 200 equipes, dois campeonatos nacionais, diversos interestaduais e estaduais das mais diferentes vertentes, o publico praticante de futebol americano cresce a cada ano, segundo Pons hoje temos um numero estimado de 17.000 praticantes da modalidade no Brasil e mais de 600.000 fãns.(PONS 2013).

Hoje a organização do Futebol americano no Brasil é feita por duas entidades diferentes, a CBFA (Confederação Brasileira de Futebol Americano) surgiu em 2001 sob o nome de AFAB (Associação Brasileira de Futebol Americano), é a entidade com representação legal concedida pela IFAF (Federação Internacional de Futebol Americano) para gerir o futebol americano no Brasil, sendo a entidade máxima responsável pelas seleções de futebol americano do Brasil, seleções que já disputam os campeonatos mundiais da modalidade, a CBFA organiza o campeonato brasileiro que é o campeonato com maior aceitação nacional de equipes e maior abrangência entre os estados do Brasil já o outro caminho é o Torneio Touchdown que é uma liga privada de futebol americano, que conta com 16 times espalhados entre em sua grande maioria entre o Sul e o Sudeste brasileiro, o torneio é o campeonato mais bem organizado do Brasil e já foi transmitido pelo canal Bandsports, o processo de entrada no torneio não é muito claro, poucas pessoas sabem ao certo como os times se filiam e podem disputar o torneio porem seu nível técnico é um dos fatores que o diferenciam, os times em sua maioria são mais organizados e melhor treinados, apresentando um espetáculo de jogo e organização melhor comparado aos jogos da CBFA , porém por ser um torneio
considerado „‟ rival‟‟ ao campeonato brasileiro de futebol americano não recebe a chancela da CBFA, sendo portanto uma liga independente porém mais organizada e menor. Podemos notar que aqui no Brasil uma historia similar acontece se comparada a historia do jogo nos Estados Unidos aonde o esporte segue com algumas ligas independes que tem regras de acesso próprias e que por enquanto ainda rivalizam e dividem publico e atenção como visto no caso de NFL e AFL temos aqui no Brasil a rivalidade CBFA e TTD.

Mesmo com essa rivalidade os campeonatos estão cada vez mais organizados, os árbitros recebem anualmente uma clinica com árbitros internacionais para melhor capacitação do corpo de arbitragem, já existe uma organização própria do campeonato para a organização dos jogos e os próprios times entenderam a importância de um grupo que organize e realize as tarefas extra campo, assim empresas vem surgindo se especializando em explorar economicamente as partidas, cobrando uma porcentagem da renda dos jogos. O cenário é positivo para o crescimento da modalidade, tempo e competência irão dizer se no futuro o Futebol Americano Brasileiro será ou não profissional, essa é a torcida de todos os que estão envolvidos com a modalidade.

Ainda amador em grande maioria o esporte no Brasil começa a traçar novos planos de profissionalização, muitos times já tem uma estrutura física e outros estão buscando espaços para se estabelecer e treinar adequadamente, toda a parte extra campo vem ganhando importância e se qualificando para deixar a modalidade cada vez mais viável financeiramente, inclusive as seleções brasileiras da modalidade já disputam mundiais sem que os atletas e treinadores tenham que bancar totalmente os gastos.

Hoje o Futebol Americano no Brasil é um esporte amador que está crescendo e se organizando para um dia se profissionalizar, dirigentes e atletas sabem que estão construindo a modalidade e que devido à falta de apoio ao esporte no Brasil o caminho será longo.

Esse crescimento de participantes e de interesse da modalidade é incentivado pelo aumento da exposição do futebol americano na mídia brasileira, o aumento do numero de partidas e de ligas transmitidas (NFL, NCAA, Arena) é uma das hipóteses para justificar o crescimento no numero de atletas no Brasil.

PRIMÓRDIOS DAS TRANSMISSÕES DO FA NO BRASIL

Poucos sabem inclusive os envolvidos com a modalidade, que as primeiras transmissões da modalidade no Brasil começaram em 1969 pela emissora Tv Tupi.

Uma temporada toda foi transmitida pela emissora, o responsável pela transmissão foi o radialista Walter Silva que recebia o material de transmissão da CBS emissora americana. (NFL: NO BRASIL DESDE 1969). O responsável por descobrir essa historia foi o historiador de futebol americano Paulo Mancha, ao descobrir em uma de suas transmissões pela ESPN que pessoas haviam assistido jogos no passado ele procurou nos arquivos da televisão brasileira e descobriu que no ano de 1969 uma temporada completa foi transmitida por Walter Silva e Thomas Noonan que se tornou o primeiro comentarista de futebol americano no Brasil, sendo ele mesmo que ao perceber que Walter não falava bem o inglês e não entendia as regras do jogo se ofereceu ligando para a emissora para ajudar nas transmissões Paulo fez algumas perguntas ao entrevistado sobre as transmissões e quais eram os desafios encontrados nelas, além da historia de como tudo isso começou segundo Thomas „‟Numa tarde de setembro de 1969, eu cheguei em casa e liguei a televisão. Fiquei surpreso ao deparar com um jogo da NFL entre o Green Bay Packers e Dallas Cowboys. A narração era em português e eu rapidamente compreendi que se tratava de um locutor de soccer, pois fazia frequentes referências ao futebol brasileiro. Havia comentários como: “Esse jogo é gozado!”, “Que brutalidade!”, ”Opa! Isso vai doer!”, “Todo mundo foi em cima do coitado!”.

No dia seguinte, pedi à minha secretária que telefonasse à TV Tupi. Após vários minutos, ela veio até mim dizendo que tinha o Sr. Walter Silva no telefone. Depois que eu me apresentei, Walter me perguntou, incrédulo: “Você entende desse jogo doido?” Eu respondi que tinha jogado por vários anos. Ele adorou isso e gritou: “Fantástico! Vamos almoçar! Hoje mesmo!” Durante a entrevista Paulo Mancha abordou qual era o tipo de preparação que era realizada antes das partidas como eram feitos os estudos para um público que nunca tinha visto a modalidade Thomas conta que „‟De início, perguntei a Walter que tipo de preparação ele fazia para cada jogo.

Ele respondeu que não fazia preparação nenhuma porque não tinha noção de como era o jogo e não falava bem o inglês. Eu lhe disse que seria preciso gastar pelo menos três horas para preparar a nossa narração, dado que os espectadores brasileiros não conheciam o esporte. Ele concordou, desta forma na tarde do sábado seguinte, no estúdio a TV Tupi, em Perdizes, eu e ele passamos três horas em uma sala de projeção assistindo certas partes da partida repetidamente.‟‟ Ao preparar-se para as transmissões Thomas entendia que era preciso antes de comentar taticamente os lances que se explicasse aos telespectadores as regras básicas da modalidade mesmo que isso fosse
feito de maneira gradativa e lentamente como diz o comentarista ‘’Originalmente, nosso tempo era das 14h às 16h. Mas depois de algumas semanas, Walter convenceu a TV Tupi a nos dar um adicional de 30 minutos antes do jogo. Ele me fazia perguntas no ar e eu respondia. Eu até desenhava diagramas com aqueles “X” e “O”, que se tornaram rotina na televisão americana. ‟‟ Com esse tempo extra foi possível que os detalhes do futebol americano fossem explicados juntamente com a parte tática básica.

Porém com a chegada da copa de 1970 esse espaço perdeu força e o futebol americano saiu no ar, sua segunda exposição dessa vez com mais força veio através do programa „‟Show do Esporte‟‟ da rede bandeirantes em 1980, programa comandado pelo jornalista Luciano do Valle o programa contava com uma extensa faixa televisa onde novos esportes foram apresentados ao publico brasileiro entre eles o futebol americano, porém mais uma vez não durou muito sua fase de exposição na televisão, a grande casa do futebol americano no Brasil são os canais ESPN.

A ESPN chegou ao Brasil em 1989, e foi o primeiro canal de esportes da TV paga brasileira. Seis anos depois, em 1995, a empresa criou o canal ESPN Brasil. Em abril de 2009, lançou o ESPN HD, em alta definição, que a partir de julho de 2012 passou a se chamar ESPN+, com uma programação diferenciada. As atividades da ESPN Internacional incluem televisão, rádio, impresso, internet, banda larga, internet sem fio, produtos de consumo e gestão de eventos. (espnmediazone.com).

O Crescimento do numero de pessoas com acesso aos canais fechados cresceu muito no Brasil nos últimos anos (Atualmente 18 milhões de brasileiros tem acesso a rede paga em suas casas) com essa maior visibilidade a ESPN passou de 7 horas de transmissão semanais em 2006 para 41 horas semanais atualmente, sendo 8 jogos televisionados por semana e 2 programas dedicados a modalidade somente a modalidade, isso nos canais ESPN, vale lembrar que na rede aberta de televisão o canal Esporte Interativo transmite 3 jogos por semana, os dados apontam um crescimento importante na audiência durante os jogos em 2012 a media erade 53 mil pessoas acompanhando os jogos pela televisão, em 2013 o aumento foi de 132% totalizando 123 mil pessoas acompanhando o jogo, só
no Super Bowl foram 700 mil pessoas acompanhando o jogo segundo o jornalista Paulo Mancha .(VAZ 2014).

Hoje a os canais ESPN detém os direitos de transmissão da NFL para televisão fechada, garantindo a eles uma grande audiência.

CRESCIMENTO E ATUAL ESTÁGIO DAS TRANSMISSÕES NO BRASIL

Buscando entender melhor os fatores que levam ao aumento do interesse do futebol americano e do aumento de audiência televisiva foram entrevistados Antony Curti, redator chefe do site especializado em futebol americano „‟ The Concussion‟‟, comentarista dos canais ESPN e escritor de livros em português sobre futebol americano e Paulo Mancha escritor do livro redator chefe do site „‟ Viajando por esporte‟‟, comentarista dos canais ESPN e escritor de livros em português sobre futebol americano, forma feitas as seguintes perguntas „‟Qual sua opinião sobre as transmissões da NFL?‟‟ Que busca responder através da opinião de quem trabalha na área quais são os aspectos mais importantes sobre as transmissões da NFL, o que diferencia elas das demais transmissões esportivas. A segunda questão foi „‟ O que pode melhorar nas transmissões feitas para o Brasil? „‟aonde busco descobrir se os próprios profissionais identificam algum tipo de problema na maneira como a transmissão é feita, se existe para eles alguma coisa a se acrescentar nas transmissões, a terceira pergunta é „‟ Como é feita a Adequação para o mercado brasileiro das transmissões da NFL, quais o fatores que mais se alteram da transmissão original?‟‟ que busca entender quais as adaptações necessárias para o publico brasileiro em comparação com a transmissão original gerada pra ESPN americana, e como ela é feita. Por ultimo pergunto para os entrevistados se eles acreditam haver relação entre o trabalho de transmissão e o aumento da pratica no Brasil e como isso acontece „‟ Como você enxerga a relação da transmissão do jogo com o aumento da pratica esportiva no Brasil?‟‟.

Quando perguntado sobre as transmissões da NFL, Antony Curti deu a seguinte opinião: „‟Sou suspeito, óbvio, para dizer, mas acredito que sejam ótimas. Não é fácil chegar lá e sair falando, são dias de pesquisa e eu vejo que todos os profissionais são engajados nisso. A gente tem apoio do departamento de pesquisa da ESPN americana, que nos envia dados, existe cobertura ao longo da semana no canal. É realmente algo bastante adequado à demanda do mercado. Acho que supera expectativas, na verdade.‟‟ Já quando perguntado sobre a qualidade transmissões da NFL, o entrevistado deu a seguinte opinião: „‟Acho que a transmissão pode ser mais técnica às vezes. Geralmente eu começo a me ater aos termos técnicos em jogos da ESPN + quando há um outro jogo no mesmo horário. Porque ai eu sei que o cara que está assistindo é fã hardcore desses times e vai entender se eu falar nisso. Agora se eu falar em gap e techinique num eventual Sunday Night Football, não tem como. É aquilo: a gente faz o que o público tem como demanda. Então se cada vez mais pessoas estudarem o futebol americano e praticarem o esporte, mais técnicas as transmissões podem ser.‟‟ O que já mostra que mesmo em pouco tempo no Brasil o esporte consegue ter fãs que estudam e entendem muito sobre a modalidade, graças a audiência dessas pessoas os canais ESPN aumentaram a quantidade e a qualidade das transmissões sobre adequação ao público brasileiro Antony diz „‟Tem sempre que ver o horário do jogo, qual modalidade é – aí a gente faz a adequação e contextualiza àquela demanda. É lógico que uma transmissão de CFL ou Arena Football tem que ter um quê a mais de entretenimento, porque não tem o mesmo nível competitivo da NFL. Então compensamos para manter o telespectador. O College era assim também até um tempo, mas mudou a “chavinha” e agora quem assiste em maioria não é o curioso, é o hardcore de College, às vezes tem até time. Aliás o College é algo difícil de fazer, porque como os jogadores mudam de um ano para o outro, temos que focar mais a transmissão nas unidades (defesa, ataque ou uma secundária) do que no individual, porque é capaz que o cara em casa nunca mais veja aquele time ou aquele jogador em campo. Na NFL a coisa também é difícil, porque da mesma forma que tem o heavy user, tem o like user que gosta mais do entretenimento do que de estatísticas, análises mais densas. Como eu vou agradar a todos? Se eu explicar o que é um tight end, tem cara hardcore que vai ficar bravo e colocar no SAP porque não quer ouvir isso. E aí não tenho o que fazer, porque a gente também precisa explicar o básico de vez em quanto. Então a transmissão tem que ser feita para o público brasileiro em geral, não só para um para outro. Um meio bom de fazer isso é um post-it que eu coloquei no meu caderno que levo para a cabine. “Por quê?”. Se você explicar o porquê da jogada ter dado certo ou errado, ira agradar os dois polos. O mesmo se focarmos em curiosidades históricas em algum momento da transmissão. „‟ Sobre a relação das transmissões da NFL com a pratica esportiva no Brasil, o entrevistado deu a seguinte opinião„‟ Definitiva. É praticamente impossível que o Futebol Americano estivesse tão grande como está no Brasil, em termos de prática, se não fossem as transmissões do Everaldo e do Paulo desde 2006. É só ver o número de praticantes antes de 2006 e depois. O aumento começou ali e não é coincidência. Acho que o papel dela foi de “ignição” do interesse do público pelo esporte. Lógico: se o jogo fosse chato não teria como esse interesse se manter. Mas a transmissão foi essencial para isso sim. Em ser divertida, informativa e “próxima” do telespectador.‟‟

Já o jornalista Paulo Mancha quando perguntado sobre as transmissões da NFL, deu a seguinte opinião „‟Em geral, são muito boas. Se comparadas com as de 10 anos atrás, vemos que houve uma clara evolução. ‟‟ Paulo que esteve envolvido com a transmissão e com a pratica do futebol americano em São Paulo desde seus primórdios tendo trabalhado em outras emissoras com o esporte, sua análise sobre a qualidade transmissões da NFL é a seguinte „‟É difícil para eu dizer, já que estou envolvido diretamente. Talvez possamos cada vez mais complementar as informações dadas na TV com infográficos, vídeos e outras mídias do próprio canal. ‟‟ Já sobre a adequação das transmissões da NFL para o Brasil, Paulo diz

‟ Aqui ainda existe muita gente tendo o contato inicial com o esporte, que é muito complexo. Então adotamos uma postura mais didática, sobretudo no que tange às regras e aos fundamentos táticos. Não podemos fazer igual aos americanos sob pena de
espantar o fã que ainda não conhece bem o esporte. „‟ Essa preocupação com o fã de esporte talvez seja uma das marcas das transmissões do futebol americano para o território nacional, existe um alto grau de interatividade através da internet aonde torcedores podem tirar duvidas que são respondidas ao vivo essa aproximação é um talvez um dos motivos para o aumento do interesse da pratica dos esporte no país, sobre esse tema Mancha diz que „‟ Me parece que o crescimento da prática do esporte está diretamente ligado à maior exposição dele na TV. Muita gente se apaixona e decide experimentar quando descobre que há times no Brasil. „‟

Com 41 horas de exposição semanal o futebol americano já esta entre os esportes mais transmitidos pela ESPN, suas transmissões tem uma alta qualidade de conteúdo e imagem, cativando cada vez mais o interesse do publico.

CONCLUSÃO

Após analisar os fatos históricos do nascimento e crescimento do futebol americano nos Estados Unidos é possível concluir que o crescimento dele esta ligado com a popularização do esporte através das mídias da época, essa história se repete no Brasil aonde se pode perceber que foi através da chegada das transmissões internacionais do esporte que ele começou a se desenvolver e ganhar força, esse interesse no futebol americano pode ser relacionado com a diferença para com os outros esportes, onde sua dinâmica de jogo e o espetáculo esportivo criado em volta dele fazem com que ele se torne um produto importante para as transmissoras de esporte.

Podemos ver que nas respostas das entrevistas existe uma correlação entre a exposição midiática do esporte e o desenvolvimento da pratica, essa exposição feita de maneira adequada com uma transmissão adaptada ao publico brasileiro atrai novos interessados.

É possível notar que os entrevistados entendem a importância dessa adaptação mesmo que isso faça com que a quantidade e qualidade de informação repassada ao publico seja retida ou não explicada, para não tonar a transmissão algo complicado de se entender e atingindo assim uma maior quantidade de audiência ao longo dos anos.

Pelas respostas analisadas e pelos fatos que constroem o futebol americano conclui-se que o interesse pelo esporte vem principalmente nas duas linhas estudadas que são a exposição na mídia e a espetacularização dos jogos transmitidos e a dinâmica do jogo que atrai pela sua complexidade e diferença com os outros esportes já conhecidos pelo grande público no Brasil, parte tática que no começo pode ser um problema para quem não tem familiaridade com ela, se torna a parte principal na apreciação do esporte.

Não se pode concluir através desse estudo se o aumento do interesse no futebol americano prejudica a audiência de outros esportes, ou se essa audiência venha de pessoas que migraram de outros assuntos televisivos.
Portanto pode-se dizer que o futebol americano hoje no Brasil atrai um publico alvo considerável, que consegue recordes de audiência e que oferece um produto de altíssima qualidade aos seus fãs, isso faz dele um modelo a ser seguido e abre as portas para um crescimento ainda maior no Brasil, com a possibilidade de jogos oficiais da NFL e ações especiais voltadas ao país, graças ao crescimento do interesse pela modalidade no país.

REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

  1. McENTIRE,C.(2002) The Football Coaching bible , USA . Human Knetics
  2. SLACK, Trevor; PARENT, Milena M. Understanding sport organizations: The application of organization theory. Human Kinetics, 2006.
  3. KIRWAN, Pat. Take your eye off the ball. Chicago: Triumph books, 2010.
  4. ORIARD, Michael. Brand NFL .Chapel Hill: The University Of North Carolina Press, 2007.
  5. MANCHA, Paulo. Touchdown. São Paulo: Panda Books, 2015.
  6. DUARTE, Orlando. História dos esportes. São Paulo: Makron Books, 2000. PFRA RESEARCH The Journey to Camp: The Origins of American Football to 1889. Connecticut: PFRA Book, 2010.
  7. ROSA, Bruno de Oliveira; A ORIGEM DO FUTEBOL AMERICANO DE PRAIA .Rio de Janeiro. UGF 2007
  8. PONS, Rodrigo. FUTEBOL AMERICANO NO BRASIL: UM ESTUDO COM INSPIRAÇÂO ETNOGRAFICA SOBRE AS PRATICAS DE CONSUMO. Rio de janeiro. UFRJ 2013.
  9. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1869-1910. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1869-1910. Acesso em: 15/07/2015
  10. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1911-1920. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1911-1920. Acesso em: 15/07/2015
  11. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1921-1930. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1921-1930. Acesso em: 15/07/2015
  12. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1931-1940. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1931-1940. Acesso em: 20/07/2015
  13. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1941-1950. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1941-1950. Acesso em: 20/07/2015
  14. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1951-1960. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1951-1960. Acesso em: 20/07/2015
  15. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 161-1970. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1961-1970. Acesso em: 20/07/2015
  16. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1971-1980. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1971-1980. Acesso em: 20/07/2015
  17. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1981-1990. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1981-1990. Acesso em: 22/07/2015.
  18. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 1991-2000. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/1991-2000. Acesso em: 22/07/2015
  19. NFL ENTERPRISES LLC (USA, Nova York). NFL chronology 2001-. 2007. Disponível em: http://www.nfl.com/history/chronology/2001. Acesso em: 22/07/2015
  20. PRO FOOTBALL HALL OF FAME (USA, Canton, Ohio). Football Firsts.2015. Disponível em: http://www.profootballhof.com/history/release.aspx?release_id=1476. Acesso em: 22/07/2015
  21. GROGAN, Jon. The College All-Star Football Classic . 2000. Disponível em: http://profootballresearchers.com/archives/Website_Files/Coffin_Corner/22-02-841.pdf. Acesso em: 20/08/2015
  22. BARNETT, Bob. 1936: THE FIRST DRAFT. 1983. Disponível em: http://profootballresearchers.com/archives/Website_Files/Coffin_Corner/05-06-143.pdf. Acesso em: 15/08/2015
  23. History Of Football. 2015. Disponível em: http://www.historyoffootball.net/history_of_football.html. Acesso em: 22/08/2015
  24. NCAA History of the NCAA. 2010. Disponível em: https://web.archive.org/web/20110807060521/http://www.ncaa.org:80/wps/wcm/connect/public/ncaa/about+the+ncaa/who+we+are/about+the+ncaa+history. Acesso em: 15/08/2015
  25. LANCENET ESPN tem recorde de audiência com transmissão do Super Bowl no Brasil . 2015. Disponível em: http://www.lancenet.com.br/minuto/ESPN-transmissao-Super-Bowl-Brasil_0_1297670309.html. Acesso em: 22/08/2015
  26. GOMES, Marcus. Em um ano, a prática esportiva bate recordes de audiência na TV e conquista adeptos. 2015. Disponível em: https://artefatojornal.wordpress.com/2015/09/29/futebol-americano-fas-em-dobro-no-brasil. Acesso em: 01/10/2015
  27. CARROL, Bob. The 60-Yard Circus . 2014. Disponível em: http://www.profootballresearchers.org/articles/1932%20Season.pdf. Acesso em: 10/10/2015
  28. Paulo Mancha. NFL: NO BRASIL DESDE 1969!. 2010. Disponível em: http://viajandoporesporte.com/nfl-no-brasil-desde-1969/. Acesso em: 12/09/2015
  29. ALAMEDA HIGH SCHOOL (USA, California, Alameda). A Brief History of the Game. 2014. Disponível em: http://www.hornetfootball.org/documents/football-history.htm. Acesso em: 12/09/2015
  30. NFL (USA, Nova York). NFL Record & Fact book: History of Paid Attendance. 2013. Disponível em: http://static.nfl.com/static/content/public/image/history/pdfs/History/2013/536-538-Paid%20Attendance.pdf. Acesso em: 10/10/2015
  31. THE PRO FOOTBALL HALL OF FAME (USA, Canton, Ohio). The Founding of the NFL. 2015. Disponível em: http://www.profootballhof.com/history/release.aspx?release_id=98. Acesso em: 19/09/2015
  32. FALCHETTI, Fabricio. ESPN amplia direitos de transmissão da NFL no Brasil. 2014. Disponível em: http://natelinha.ne10.uol.com.br/noticias/2014/08/19/espn-amplia-direitos-de-transmissao-da-nfl-no-brasil-78652.php. Acesso em: 19/09/2015
  33. PFRA RESEARCH (USA, Connecticut). Camp and his Followers . 2014. Disponível em: http://www.profootballresearchers.org/articles/Camp_And_Followers.pdf. Acesso em: 12/09/2015
  34. Flying Wedge. 2010. Disponível em: web.archive.org/web/20070430205324/http://www.ncaa.org/about/history.html. Acesso em: 12/09/2015
  35. CROWLEY, Joseph N.. The NCAA’s First Century: In the Arena. Indianapolis: NCAA Publications, 2010. Disponível em: http://web.archive.org/web/20070421082947/http://www.ncaa.org/library/general/in_the_arena/in_the_arena.pdf. Acesso em: 12/09/2015
  36. TADENA, Nathalie. Super Bowl Ad Prices Have Gone Up 75% Over a Decade. 2015. Disponível em: http://blogs.wsj.com/cmo/2015/01/12/super-bowl-ad-prices-have-gone-up-75-over-a-decade/. Acesso em: 15/09/2015
  37. About Espn. 2010. Disponível em: http://espnmediazone.com/brazil/fact-sheets/. Acesso em: 10/10/2015
  38. VAZ, Luiza. Crescimento pelo interesse da NFL no Brasil. 2014. Disponível em: http://www.theplayoffs.com.br/exclusivo-paulo-mancha-concede-entrevista-ao-the-playoffs-e-fala-sobre-crescimento-do-interesse-pela-nfl-no-brasil/. Acesso em: 16